Pages

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Soja: como usar na nossa alimentação ?

    Para podermos entender a soja como alimento e como fitoterápico (na forma de isoflavonas) devemos primeiro conhecer um pouco da história do seu uso e como ela é plantada e utilizada nos dias atuais. A soja começou a ser consumida como alimento por volta de 1100 a.C. pelos chineses na forma fermentada, e depois essa técnica foi se expandindo para outros países asiáticos como Japão, Indonésia, entre outros. Antes disso ela era usada como alimento para animais e fertilizante para o solo.
   Por que fermentar a soja ? Para diminuir seus antinutrientes: um deles,  o ácido fítico  reduz a absorção de cálcio, ferro, magnésio e zinco. Outras leguminosas como feijão também contém ácido fítico que pode ser parcialmente neutralizado apenas com a fermentação: lembram que nossas avós deixavam o feijão de molho durante a noite ? Pois esse processo é uma forma "modesta" de fermentação .
  Ela contém ainda outras substâncias como os inibidores de protease que interferem na digestão de proteínas que podem ser reduzidas pelo cozimento, fermentação e também pela germinação.


Que soja é essa que comemos hoje ?
     A produção de soja do Brasil em 2009/10 foi estimada em um recorde de 68 milhões de toneladas e é o maior produto agrícola no país. Ela foi introduzida aqui  por volta de 1882, mas foi a partir de 1960 que começou sua plantação mais extensiva.
     Mas a soja que é plantada e colhida hoje não se parece em nada com aquelas antigas (aquelas pois não existe apenas uma espécie, mas várias) pois é praticamente toda ela transgênica e com resíduos excessivos de agrotóxicos. Em razão do estímulo para uma produção em larga escala  sua monocultura avançou sobre os pequenos agricultores, sobre a floresta amazônica e  o cerrado brasileiro, com isso degradando o meio ambiente e consequentemente nossa saúde.


Leite e carne de soja ??????
    Temos à disposição nas prateleiras dos supermercados e farmácias, entre outros,  uma enorme variedade de produtos alimentícios e medicamentos fitoterápicos com soja na sua composição, e cada vez mais vemos esses produtos se multiplicando na mesma proporção do aumento da produção desse grão nas fazendas.
     Isso é realmente bom para nossa saúde ? A quem interessa que aumentemos nosso consumo desse alimento ?
     O fato de que a soja contém antinutrientes  e estar contaminada por agrotóxicos não a condena a ser um alimento ruim para a saúde  pois  podemos usar as cultivadas organicamente para substituir a  transgênica e utilizar técnicas de fermentação, germinação e cozimento para diminuir seus antinutrientes. Mas com certeza  não é um boa como  substituta da carne nem do leite: como todas as  leguminosas ela não contém todos os aminoácidos essenciais para a saúde (falta a metionina), não contém quantidades suficientes de cálcio para ser substituto do leite, nem de ferro para ser substituto de carne.
   A questão mais importante a ser esclarecida é que a  proteína texturizada de soja (PTS)  começou a ser usada para consumo humano (inclusive no oriente) somente a partir da produção de óleo de soja, onde o que resta da extração desse óleo passou a ser usado como imitação de salsichas, leite e queijos.
   Hoje temos vários produtos  que são oferecidos como substitutos de leite e seus derivados, carnes, entre muitos  outros. Na tentativa de equiparar nutricionalmente esses produtos  ao alimento tradicional é necessário complementá-los com cálcio, metionina, ferro, zinco, além de aromatizantes, corantes e outros aditivos para que eles se pareçam com o alimento que tentam imitar.
    Essa invasão de produtos industrializados está vinculada a  propagandas maciças  ao longo de muitos anos com a idéia de serem naturais e benéficos para a saúde pois podem prevenir e curar uma série de doenças, ou seja, uma verdadeira panacéia.
    
Controvérsias sobre os benefícios para a saúde
   Embora algumas pesquisas tenham demonstrado que a soja ou a isoflavona podem melhorar sintomas da menopausa  e, consequentemente, com a regulação hormonal  haveria efeitos benéficos sobre a osteoporose, além de  prevenir vários tipos de câncer, existem outros estudos em que  os resultados foram inconclusivos ou ainda que  mostraram que a quantidade de fitohormônios presentes no grão pode causar câncer de mama, disfunção da tiróide, piorar a osteoporose, além de distúrbios hormonais em crianças e adolescentes.  Países como Israel, França, Suiça, Austrália e Nova Zelândia recomendam que não sejam utilizados "leites de soja" e seus produtos para crianças . No Reino Unido essa recomendação foi feita em 2004 por meio da CMO’s Update.


Então, como usar a soja ?
  A resposta para essa pergunta é o equilíbrio na alimentação.


      Não existe nenhum alimento completo e  todos eles podem ser potencialmente prejudiciais se usados em quantidades  maiores do que o organismo consegue metabolizar.
      Além disso o consumo de  alimentos industrializados deve ser reduzido em uma alimentação equilibrada: para isso o melhor é usar  alimentos in natura ou pouco processados.
      A soja é uma leguminosa como o feijão, a ervilha, lentilha e grão de bico e pode ser utilizada na composição de uma alimentação saudável. Mas como ela contém mais fatores antinutricionais do que as outras leguminosas, o ideal é usá-la fermentada ou germinada.
      A soja como alimento não é um vilão nem um mocinho cheio de super poderes: somente temos de saber o que comprar, como preparar e como consumí-lo para que possamos usufruir de seus benefícios.


      Para saber mais sobre alimentação equilibrada  consultar : http://nutricao.saude.gov.br/nutricao/ no link Como ter uma alimentação saudável ?

Nenhum comentário:

Postar um comentário